Terça-feira, 23 de Agosto de 2011
por Sérgio Lavos

Estava para traduzir este texto de Slavoj Zizek, mas a Joana Lopes fez o favor de deixar um link para uma tradução brasileira. Apenas para quem gosta de ir um pouco além de leituras simplistas. Um excerto:

 

"Por sua vez, os liberais de esquerda, não menos previsíveis, agarraram-se ao seu mantra sobre programas sociais e iniciativas de integração, as quais, negligenciadas, teriam privado a segunda e terceira gerações dos imigrantes de suas possibilidades econômicas e sociais: explosões de violência seriam o único meio que ainda têm para articular a insatisfação. Em vez de nos permitir embarcar indulgentemente em fantasias de vingança, devemos nos esforçar para entender as causas profundas dos atos de violência. Saberíamos nós o que significa ser jovem em área pobre racialmente “complexa”, ser considerado suspeito a priori nas batidas policiais, sempre agredido por policiais, não só desempregado, mas muitas vezes, inimpregável, sem esperanças de futuro? A implicação é que as próprias condições em que essas pessoas encontram-se tornariam inevitável que tomassem as ruas. 
O problema dessa narrativa é que só lista as condições objetivas dos tumultos. “Agitar”, “tumultuar” seria fazer uma declaração subjetiva, declarar implicitamente como alguém se relaciona com as próprias condições objetivas de vida.
Vivemos tempos cínicos. Não é difícil imaginar um agitador que, apanhado quando saqueava e incendiava uma loja e interrogado sobre suas razões, responda usando a linguagem dos sociólogos e assistentes sociais: que fale de menor mobilidade social, insegurança crescente, desintegração da autoridade paterna, carência de atenção materna na infância. Ele sabe, portanto o que faz, mas mesmo assim faz.
É perda de tempo ponderar qual dessas duas reações, a conservadora ou a liberal, é a pior: como Stálin diria, as duas são piores, e isso inclui o alerta que os dois lados dão, de que o real perigo dessas explosões está na previsível reação racista da “maioria silenciosa”." 
tags:

por Sérgio Lavos
link do post | comentar | partilhar

28 comentários:
João Mendes Oliveira
Mais disparates e mais wishful thinkings da esquerda,a pobreza não tem muito haver com estas revoltas,a grande causa das revoltas é CULTURAL,as culturas africanas e outras são menos desenvolvidas(por exemplo,a violência é mais tolerada,poucos valores são ensinados aos filhos tais como a honestidade e outros desde pequenos,o pai da criança divorcia-se muitas vezes deixando a criança desamparada,essa área é maioritariamente africana logo estas características passam mais facilmente de uns para os outros pelas escolas e convivência,tanto para os brancos[chamados de bollycaos,brancos por fora pretos por dentro] como para todos os outros) que as sikhs,as da Ásia de leste ou da europa onde existem outros valores,prova disso eram os portugueses que viviam em bairros de lata na França,os chineses que são pobres e mesmo assim não cometem/cometeram crimes,não há paciência para os delírios equalitários de esquerda querendo sempre fazer de todos os humanos iguais à partida,as culturas e talvez até a raça têm influência,não vale apena negar,se querem combater estes fenómonos têm de os civilizar,de lhes apresentarem culturas mais desenvolvidas e eles têm de se assimilar nas culturas mais desenvolvidas como a europeia ou asiática,tem de se reprimir os seus instintos primitivos das suas culturas,isso sim resolvia o problema,as falácias dos problemas económicos,etc já estão mais que desacreditadas,eles estão cada vez piores porque o essencial não foi tocado.

deixado a 23/8/11 às 00:26
link | responder a comentário

João Mendes Oliveira
As pessoas não são racistas,a realidade e a natureza é que o são,eles comportam-se INDECENTEMENTE,isto não devia ser tolerado mas claro,a esquerda em vez de resolver problemas simplesmente ignora-os,cria fantasmas,tabus e medos (ai cuidado,vem ai o hitler),mais tarde ou mais cedo vocês estarão totalmente desacreditados porque vocês falham nas análises dos problemas por razões ideológicas e acabam por não resolver problema nenhum.





Se não existisse este jogo psicológico e se as pessoas não estivessem condicionadas pela propaganda diária e anti-democrática os nacionalistas já teriam tomado o poder em quase toda a europa,infelizmente as pessoas só vão abrir os olhos quando virem os seus países a descambar totalmente com maiorias não europeias em menos de 60 anos que não respeitam as nossas culturas,que têm culturas menos avançadas(como a islâmica que maltrata as mulheres e os "infieis" e a africana que é totalmente incompatível com um país desenvolvido,têm muitos traços que fazem com que uma sociedade desenvolvida em África seja impossível,ainda têm de evoluir durantes centenas de anos),as pessoas de esquerda(no qual eu incluo o CDS e o PSD para além dos outros 3) estão a levar a europa para um caminho sem retorno,para um caminho muito difícil e temível.

deixado a 23/8/11 às 00:37
link | responder a comentário | discussão

Anónimo
Muito bem dito, Breivik!


Manuel

Caro Anónimo:


É preciso ser-se rigoroso.


Super Breivik


Não desvalorize as pessoas, muito especialmente as puras, as que ainda têm os verdadeiros valores, senão isto torna-se uma bandalheira.


deixado a 23/8/11 às 12:06
link | responder a comentário | início da discussão

JORGE SILVA
Pois é caro anónimo, você já faz lembrar aquelas pessoas que logo depois do 25 de Abril quando ouviam alguém falar em desintonia com o ideologicamente instuido, apontavam logo gritanto: FACISTA; FACISTA; FACISTA!!!
Qual é a diferença entre isto e os auto de fé?
Esses cérebros não dão para mais, infelizmente...BAH!!!


Anónimo
Eu pergunto, qual é a diferença entre este discurso e o de pessoas como o Breivik? Nenhuma e nisso é que devia reflectir.
Outra coisa, substitua as palavras "africanos", "chineses", etc. por "judeus", "negros", "portugueses", "americanos", "franceses", o que quiser. É nisso que está a essência de discursos racistas, xenófobos, chame-lhe o que quiser. Generalizações são isso mesmo, generalizações. Por cada exemplo de um estrangeiro que cometeu um crime ou tem comportamentos não aceitáveis (seja lá o que isso for) arranjo-lhe 2 ou 3 de pessoas naturais dessa terra que fazem coisas iguais ou equivalentes. Como é que então ficariam esses argumentos e generalizações? 


Se quiser discutir baseado em estatísticas, estudos e não em opiniões e em 3 notícias que leu durante a semana no Correio da Manhã cá estaremos para debater. Até lá tentem sair das câmaras de eco e das grutas com sombras na parede onde vivem.


JgMenos
Já ouviste falar em TERRITÓRIO e territorialidade?
A esquerda é aquele estado de alma em que a mais elevada missão é despirem-se de tudo o que é instintivo ou distintivo .
E sendo inevitávelmente humanos, exibem essa nudez como se tivessem criado uma nova e superior espécie.
E assim satisfazem o seu exarcebado instinto de diferenciação.
Uma miséria, humana!

deixado a 24/8/11 às 11:49
link | responder a comentário | início da discussão

Anónimo
Já agora, gostaria de acrescentar que para quem apenas leu 1 única frase de uma pessoa consegue o prodígio de supor e acusar muita coisa. Tem uma imaginação muito fértil, podia ser dedicada às artes criativas. Uma pena ter-se perdido tamanho talento...


JORGE SILVA
Sim..sim, mas etiquetar logo os discursos incómodos por " Breivik " e xenófobo e racista e etc... não é nada de inteligente é pois assim de um ser muitissimo "criativo"!
Ora bem... há ainda gente que anda cega para determinadas realidades. Há realmente uma esquerda autista.
Estatísticas...mas quais estatísticas? Será que o que aconteceu em Londres é passivel de análise estatística??? Continuamos com estudos sociológicos e tretas de psicologia social e outras merdices do género para justificar o injustificável: A Europa caminha a passos largos para o caos!!! E ainda me vem falar de estatísticas??? E qual é para si o paramar aceitável para o caos e a desordem? O oeste americano? Ou a pré-história ou uma tribo de canibais? Enquanto não chegarmos lá  estaremos estatisticamente satisfeitos? Ora vá lá ler histórias da carochinha a outro!


João Mendes Oliveira
subscrevo,toda a gente sabe de onde vem grande parte do crime(a maioria em muitos casos),para além disso,Portugal proíbe estatísticas étnicas tornando impossível apresentar argumentos sólidos.




Isto aqui de defender a multiculturalidade,diversidades e demais tretas e directamente proporcional à convivência com a mesma,quando mais longe dela mais eles a defendem,pessoas hipócritas no seu melhor!




o bloco de esquerda e o PCP são uns partidos demagogos(prometem tudo num estado em bancarrota),populistas(falam dos trabalhadores e outros 80 vezes/dia por votos e como se tivessem o monopólio da sua defesa),não apresentam soluções SÉRIAS(quando digo sérias é explicadas tintin por tintin e CIENTÍFICAS,dizerem quem as executa,etc),são um partido TOTALITÁRIO(muitos dos membros defendem a ditadura do proletariado,vai a um forum deles,só não o fazem oficialmente) e são hipócritas em muitos aspectos tais como a defesa da diversidade mas nunca benicificiam do "enriquecimento cultural" e do "calorzinho multicultural",estão bem longe dessa mesma diversidade nos seus condomínios com 95% de brancos,vão mas é para a cova da moura desfrutar deste enorme enriquecimento!


JORGE SILVA
Ora aí está!  Normalmente quem defende esse modelo de "multiculturaridade" é gente das "avenidas novas" com o traseiro cheio de pó de talco desde tenra idade, burguezinhos até ao tutano.
Quem tem de ldar com ela todos os dias já não tem a mesma opinião.
E quanto às estísticas eu ainda gostarioa de saber qual é o grau de satisfação que essa gente tem.

deixado a 24/8/11 às 16:26
link | responder a comentário | início da discussão

Anónimo
Nos tempos pré-históricos, os homens-macaco viviam em pequenos grupos e o grupo do outro lado do ribeiro era o inimigo desconhecido e era preciso eliminá-lo.
Depois passamos para uma época medieval que as pessoas da povoação vizinha era os subhumanos.
Depois descobre-se que noutros sítios há outros povos que são infrahumanos e não lhes reconhecemos nem a existência de alma portanto podemos fazer o que lhes quisermos (nós os Portugueses pioneiros, responsáveis pela maior emigração forçada da História).
Século XIX inventa-se esse conceito abstracto de nacionalidade (como forma de agregar essas povoações/cidades-estados/etc. sempre em conflitos) e os outros países é que eram o novo problema.
Chegamos a este século e continuamos na mesma. Fomos dos "outros" do outro lado do ribeiro para os "outros" do outro continente (de preferência com cor de pele diferente) mas não evoluímos. O outro diferente de nós é que se deve submeter porque nós somos os superiores.


***
Opiniões não entram no campo da ciência, vai daí não pode reconhecer ou deixar de reconhecer o papel da ciência conforme lhe dá jeito. Não gosta de sociologia ou psicologia? Olhe que esses campos das ciências são capazes de lhe mostrar inúmeros casos de estudo semelhantes sempre com os mesmos resultados. Os humanos são extremamente previsíveis quando em grupo.
Quer falar deste caso em concreto? Basta olhar para a história e ver o que há comum entre esta e outros motins ingleses: os mesmos locais, as mesmas razões, os mesmos governos no poder, as mesmas políticas de degradação de assistência estatal, a falta de oportunidades. A essência e circunstâncias são iguais, os pormenores mudam.
E agora falando por experiência própria, vá para um país em que a população o acolha como um qualquer cidadão igual aos demais, rapidamente vai assumir costumes e modo de vida locais para se integrar e vai ser tratado de forma igual tendo as mesmas oportunidades, direitos e deveres dos restantes.
Vá para um país onde não tratem as pessoas por igual e lhe é exigido mais do que os naturais de lá apesar de não ser diferente deles. Multiplique por vários milhares de casos, adicione uma polícia corrupta e uns pedantes no governo, regue tudo com instabilidade social provocada por pedantes e aproxime-lhe uma faísca.
Vou-lhe dar um caso muito específico, já ouviu falar de Lambeth Road em Londres? Uma zona pobre conhecida por ser uma "parvónia" da margem sul. Nos anos 90 era ali que estava instalada parte da comunidade portuguesa. Aqueles que conseguem melhorar as suas condições saiem dessas zonas. Hoje estão lá coreanos, ontem estavam portugueses e antes estavam turcos (sei lá, estou a mandar nacionalidades à toa), as comunidades mudam constantemente mas as zonas continuam com os mesmos problemas de sempre.
Os problemas são endémicos, estão identificados e continua-se a preferir remediar e berrar contra cores de pele e religiões em vez de prevenir.
Quem não aprende com a história está condenado e repetir os erros do passado e estes países ainda não aprenderem.


JORGE SILVA
Tretas! E mais tretas! E muita poesia à mistura... e um discurso demagogo até ao tutano!
Sabe uma coisa? Começo a não ter paciência para esse blá-blá, pois o que me interessa são as consequencias desse mesmo blá-blá!!! E ando farto dessa mesma conversa para entreter líricos! O que você sabe, ou diz saber, já a mim me esqueceu. Já passei por essa fase meu caro. Hoje encontro-me noutro patamar bem mais real!

Mas uma coisa lhe digo. Não fale da emigração portuguesa porque que se saiba os portugueses para todos os lados para onde foram, são trabalhadores, pacíficos e cumpridores da lei e NÃO SE IMPÕEM CULTURALMENTE A NINGUÉM!!!!
Será que sabe as diferenças?


Anónimo

Mas estás a duvidar dos factos apresentados da história do Reino Unido? E da curvatura da Terra também queres duvidar?
Se nem os factos apresentados queres discutir que mais quer? Que te faça desenhos e te explique o que a sua mente com 5 anos de maturidade não consegue ainda decifrar? Pelo menos aprende a argumentar, apresenta factos que corroborem a tua opinião e não apenas a tua opinião. Os teus argumentos resumem-se a “tudo o que dizes são balelas, é isso que penso e por isso os teus argumentos não têm sustentação” (já vi crianças na escola com melhor capacidade de argumentação)


Não eras tu que assinavas de cruz que os “outros” que vinham de “culturas atrasadas” precisavam de ser educados quando vinham para a “verdadeira civilização”? Pimenta no cu dos outros é refresco. Olhe, não sei em que planeta esquizofrénico vive mas ainda não me cruzei com ninguém na rua que me tentasse impor nada a não ser material contrafeito e balelas acerca do fim do mundo (testemunhas de Jeová, o pão nosso de cada dia por aqui). Há quem veja comunas comedores de crianças em todas as esquinas, há quem veja escuros de turbante que querem impor não sei bem o quê (óculos de sol marroquinos? comida indiana?) 24h por dia na TV (já experimentou mudar de canal?).
E de facto deve viver mesmo num qualquer outro mundo para ter tal visão simplista dos portugas: quando vão lá para fora são trabalhadores, blá blá blá (quando estão em Portugal são uns calões e preguiçosos). Como se não existissem criminosos de todos os credos, cores e nacionalidades em todo o lado…
Como estou a ver que determinados adjectivos lhe fazem reagir qual cãozinho de Pavlov, vamos experimentar outra via, procure no dicionário os sinónimos de “aversão a estrangeiros” (de cor de pele diferente de preferência) e “afirmação de que determinadas nacionalidades/raças/whatever são “superiores” a outras”. Não volte cá sem o TPC feito senão não se continua com a lição. E não esquecer o que lhe receitaram, um capítulo por dia do manifesto 2083.


JORGE SILVA
Não há nada a fazer para mentalidades como a sua. A demagogia continua e, é claro, os rótulos também! Fiquei a saber que tenho aversão a estrangeiros (não sabia), fiquei também a saber que considero determinadas raças superiores a outras (também não sabia) e fiquei a saber também que esta Europa caminha fortemente para o paraíso terrestre e não para a decadencia! Fico também a saber que você precisa de óculos e de sair do seu casulo/treta. Mas fico essencialmente a saber o que já sabia: as pessoas que aplicam o seu discurso não só são coniventes como são essencialmente culpadas em termos ideológicos de toda esta situação (e isso já eu sabia e confirmo)!


Anónimo
Das duas uma, ou deixa de escrever opiniões e começar a comentar factos ou então apresente as suas opiniões e sustente-as com algo.
Demonstrei que as zonas pobres de Londres têm problemas que duram há décadas e não estão relacionados com religiões ou nacionalidades das pessoas. Pessoas de diferentes religiões/nacionalidades instalam-se e saiem de lá, as comunidades mudam constantemente e os problemas continuam iguais. Portanto estes problemas nada tem a ver com religião e/ou nacionalidades específicas. Como tal, é extremamente redutor e falacioso colar isso a "culturas atrasadas". 
Se você considera uma cultura como sendo atrasada  está a considerar outra superior a essa. Já viu onde queria chegar? Se não quer admitir isso, problema seu.Se não gosta do que vê no espelho, a culpa não é de espelho.
Acusa-me de demagogia e usa-a em tudo o que escreveu antes pois está a usar emoções, receios, ideias feitas,etc. das pessoas ao berrar qual pita histérica contra os "outros" para passar as suas ideias. Vai daí, esse receio do que é diferente é... não preciso de me repetir.
Cá fico à espera dos seus argumentos (factos e opiniões baseadas em factos e/ou estudos) ou vai continuar com a cassete da demagogia, tretas e historinhas?


JORGE SILVA
Onde é que eu disse que existem culturas superiores e outras atrasadas??? Sabe uma coisa? Não considere as pessoas por aquilo que não sabe!!! O discurso é sempre o mesmo: acusações de racismo, xenofobia e de extremismos de direita, de fascista, salazarista e o pénis.! Mas outra coisa também lhe digo: as pessoas como você um dia ainda hão de se arrepender e TER VERGONHA pelo modelo de sociedade que ajudam a construir!  Um dia sim... quando vocês próprios começarem a ser vítimas a levarem com porcaria e com o lixo político que produzem e deixam produzir!
Um dia hão de ter vergonha!

deixado a 28/8/11 às 23:08
link | responder a comentário | início da discussão

Hugo
Mas a Europa tem de se defender de quem? dos negros?dos chineses?de todos os que não sejam europeus? defender como???? ou será que o seu defender é atacar? será que estará a falar de guerra? não o percebo e já agora gostava que me respondesse se só fora da Europa é que existe boçalidade.


João Mendes Oliveira
Sim a europa tem de se defender da ameaça islâmica e não-europeia,estes serão a maioria em 60 anos graças à imigração em massa e às altas natalidades dos mesmos(e claro,aos traidores que lhes abriram as portas sem o consentimento do povo),são um perigo para a preservação das nossas culturas e para a preservação da nossa identidade racial que merece ser preservada como as outras,são um perigo para a paz a longo prazo(o multiculturalismo não funciona e não vale apena esperar por milagres,basta ler um livro de história por 5 minutos e uma pessoa mais atenta vê que os diferentes povos não conseguem viver juntos por muito tempo,desde a Jugoslávia aos otomanos[separatismos,grupos de interesse étnicos,discriminações e muito mais,não funcionou,os árabes e os gregos acabaram com aquilo] e até ao império português onde os negros não se sentiam portugueses mesmo que falassem o português),são um perigo para a preservação das nossas sociedades avançadas(se você colocar os zimbabweanos na Suécia e os suecos no Zimbabwe vai ver que o zimbabwe vai ser parecido com a suécia e a suécia vai ser parecida com o zimbabwe,os povos fazem os países,as culturas avançadas da europa e as nossas tecnologias e muito mais é que nos permitem ser como somos,ser o país que somos),são um perigo para os direitos humanos das mulheres e dos indígenas europeus(ou infieis,como queira),enfim,eu não me quero tornar numa minoria no meu país porque uns filhos da puta de esquerda o decidiram sem o consentimento do povo,não quero ver toda a herança portuguesa e europeia a desaparecer,não quero um país dividido e em guerras constantes porque existem outras etnias em Portugal,não quero um país mais parecdo com áfrica porque importámos africanos,não quero ser uma minoria à mercê de maiorias não-europeias e antagónicas com os nossos valores como é o caso dos muçulmanos,é nisso que o país se vai tornar,é isso que o bloco de esquerda,PS,PSD,PCP e talvez até o CDS estão a promover,não ganhamos absolutamente NADA com isto,diga-me lá então porque é que o fazemos?porque é que é tabu ser contra o suicídio nacional e europeu??? diga-me...


JORGE SILVA
João Mendes de Oliveira

A minha concordância total com o seu texto. É duro, nada ideologicamente correcto, mas é a pura verdade, não só da Europa mas também de Portugal daqui a uns anos! Infelizmente há muita gente culpada: da direita estúpida (que é autista em relação aos problemas sociais) à esquerda cretina e complexada (que é cega e estupida relativamente aos caos que está ajudar a construir). E essa esquerda cretina, julgando-se muito evoluida, em vez de estar a promover a paz e a ordem social, promove o conflito, a desordem e a pobreza através do seu laxismo ideológico.
Não ver isto é muito grave. Se os acontecimentos de Londres, assim como os de Paris, já não serviram de exemplo no que esta Europa se pode tornar, então permaneceremos na profunda ilusão!

Continuemos aqui a branquear os ARRASTÕES de Carcavelos e depois queixem-se!!!

deixado a 23/8/11 às 22:23
link | responder a comentário | início da discussão

MetroidSamus
"se você colocar os zimbabweanos na Suécia e os suecos no Zimbabwe vai ver que o zimbabwe vai ser parecido com a suécia e a suécia vai ser parecida com o zimbabwe"


Pelo que diz a seguir, pressuponho que pense que essa troca daria os mesmos resultados se, em vez da Suécia, fosse Portugal (mas aí pergunto, pq não dar logo o exemplo de Portugal?). Ora, se assim for, julga que o grau de desenvolvimento de Portugal e da Suécia são equivalentes , (é isso?), pois que acrescenta: "os povos fazem os países,as culturas avançadas da Europa e as nossas tecnologias e muito mais é que nos permitem ser como somos,ser o país que somos". Portanto, Portugal e Suécia são iguais, ou muito semelhantes, em termos de desenvolvimento, apesar do que dizem as estatísticas de merda da sociologia e da psicologia social, é isso? Se não são, então contradiz-se e fica a pergunta: pq será Portugal menos avançado (ou será que acredita q está mais avançado) do que a Suécia? É por sermos um pouco mais morenos do que eles? Aguardo, com curiosidade indisfarçável, umas respostas que me esclareçam, pois estou confuso e isso é desagradável. Pode ajudar-me, por favor (mas com melhor pontuação- há que respeitar a pátria língua)?


João Mendes Oliveira
Portugal está menos desenvolvido que a suécia e sim é por razões culturais,os portugueses não têm ainda uma mentalidade empreendedora e industrial de querer criar a sua indústria/empresa como outros países desenvolvidos da europa ou como os EUA,os portugueses não são tão organizados e disciplinados como os povos do centro da europa(e isto é algo educacional e cultural),Portugal tem(ou tinha,ouvi dizer que a educação na Suécia se esta a tornar numa lástima) uma pior educação nas escolas,Portugal tem menos tradição de competitividade com os melhores que o centro/norte da europa,tudo isto se manifesta no dia a dia nas nossas culturas e tem influências positivas ou negativas,Portugal é muito melhor que a maioria dos países do mundo em muitas áreas mas ainda temos um longo caminho a percorrer e claro,isto leva tempo,os africanos também têm de percorrer muita coisa para se desenvolverem mais culturalmente e civilizacionalmente,aquilo é um caos.

deixado a 24/8/11 às 20:36
link | responder a comentário | início da discussão

done

Deixa que esse de Cole há-de ser um equidistante analista ao nível do calmeiron de opereta como do obama hipócrita, fácil de treta e intriga

e eu vou mais em links do jeito, na minha mais livres

http://resistir.info/libia/entrev_21ago11.html (http://resistir.info/libia/entrev_21ago11.html)

http://resistir.info/libia/dedaj_21ago11.html (http://resistir.info/libia/dedaj_21ago11.html)

http://resistir.info/libia/meyssan_22ago11.html (http://resistir.info/libia/meyssan_22ago11.html)

http://resistir.info/libia/bricmont_18ago11.html (http://resistir.info/libia/bricmont_18ago11.html)

 Em baixo, ao fim do texto, vai o original dos artigos


deixado a 23/8/11 às 01:36
link | responder a comentário

RC
É uma análise muito simplista dos factos. O "jovem em área pobre racialmente “complexa”, considerado suspeito a priori nas batidas policiais, sempre agredido por policiais" não é o perfil exclusivo dos que foram apanhados entre os meliantes dos motins. Aliás, essa imagem hoje em dia vive apenas na imaginação de alguns "analistas sociais" que têm de arranjar maneira de continuar a justificar o seu trabalho. Hoje em dia, num país como a Inglaterra, o inocente "considerado suspeito a priori nas batidas policiais, sempre agredido por policiais" simplesmente não existe, embora talvez exista nos países de origem de muitos dos "revoltados".

deixado a 23/8/11 às 10:46
link | responder a comentário

yaya
O grande problema é a falta de festinhas na infância.

deixado a 23/8/11 às 11:11
link | responder a comentário

Anónimo
mas qual é a proposta do Zizek? que conclusão ou consequências deveremos retirar desta análise? e já agora, porque é citado, o que faria 'stálin'? 

deixado a 23/8/11 às 16:17
link | responder a comentário

Pol Pot era de esquerda fracturante!

Já que foi invocado Estaline, convem ler este texto para se compreender melhor o que pensava esse destacado marxista sobre estes assuntos da multiculturalidade. Texto inaceitavelmente politicamente incorrecto para as esquerdas estratosfericamente politicamente correctas da actualidade (PCP incluido).

http://www.marxists.org/reference/archive/stalin/works/1913/03.htm (http://www.marxists.org/reference/archive/stalin/works/1913/03.htm)

O Sérgio Lavos o que acha deste texto de Stalin, se é que já o leu? Cheira-lhe a discurso de "extrema direita"?

deixado a 23/8/11 às 17:15
link | responder a comentário

Vespa

     Zizek?  

 Será  um ser que  costuma rastejar na lama  junto à foz? Que ora aparece em águas claras ora em águas turvas.

           Zizek é um troca tintas, um farsante burguês.

           

deixado a 24/8/11 às 22:55
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador